Username Password
 
Lembrar dados?
Entrar
Registe-se
Recuperar Password
Publicidade
Membros Online
+ 0 utilizadores ( visitantes e membros)
Publicidade

Outra Legislação

ASCENSORES – Nova Legislação (28/Dez/2002)
27-2-2009 16:22
Foi publicado no Diário da República n.º 300, I Série-A, de 28 de Dezembro de 2002, páginas 8160 a 8169, o Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro.

ASCENSORES – Nova Legislação

O Decreto-Lei n.º 295/1998, de 22 de Setembro, veio uniformizar os princípios gerais de segurança a que devem obedecer os ascensores e respectivos componentes de segurança e definir os requisitos necessários à sua colocação no mercado, assim como à avaliação de conformidade e marcação CE de conformidade, mas somente regula a concepção, o fabrico, a instalação, os ensaios e o controlo final das instalações.

Manteve-se em vigor relativamente ao licenciamento e à fiscalização das condições de segurança de elevadores, ascensores e monta-cargas o Decreto-Lei n.º 131/1987, de 17 de Março, que aprovou o Regulamento do Exercício da actividade das Associações Inspectoras de Elevadores, posteriormente alterado pelo Decreto-Lei n.º 110/1991, de 18 de Março, que revogou o regulamento de Segurança de Elevadores Eléctricos, aprovado pelo Decreto n.º 513/1970, de 30 de Outubro, e alterado pelo Decreto Regulamentar n.º 13/1980, de 16 de Maio.

Simplesmente, as disposições do Decreto-Lei n.º 131/1987, de 17 de Março, com a redacção conferida pelo Decreto-Lei n.º 110/1991, de 18 de Março, não se aplicam aos elevadores instalados a partir de 1 de Julho de 1999, segundo se estabelece no Decreto-Lei n.º 295/1998, de 22 de Setembro. (cfr. resulta expressa e imperativamente do disposto no artigo 16.º, do supracitado Decreto-Lei n.º 295/1998, de 22 de Setembro, e mais recentemente, do Preâmbulo de outro acto normativo do Governo, o Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro).

É precisamente este último acto normativo do Governo, o Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro, que vem agora aprovar novas regras quanto à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes e estabelecer o respectivo regime contra-ordenacional (coimas), procedendo simultaneamente à efectiva transferência das competências que nesta matéria se encontravam atribuídas a serviços da administração central (Ministério da Economia/Direcção-Geral da Energia) para as câmaras municipais.

É assim que, o Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro, vem estabelecer as disposições aplicáveis à manutenção e inspecção de ascensores, monta-cargas, escadas mecânicas e tapetes rolantes, após a sua entrada em serviço, bem como as condições de acesso às actividades de manutenção e de inspecção, atribuindo competências às câmaras municipais para efectuarem inspecções periódicas e reinspecções às instalações, efectuarem inspecções extraordinárias, sempre que o considerem necessário, ou a pedido fundamentado dos interessados, realizarem inquéritos a acidentes decorrentes da utilização ou das operações de manutenção das instalações, bem como procederem à selagem / imobilização das instalações.

O Decreto-Lei n.º 320/2002, de 28 de Dezembro, foi publicado no Diário da República n.º 300, I Série-A, de 28 de Dezembro de 2002, páginas 8160 a 8169.

Leituras: 13343  
Não existe nenhuma sondagem em curso...
Partilhe connosco alguma situação engraçada, curiosa ou estranha que tenha ocorrido no condomínio.

Porque nem tudo tem que ser aborrecido ou questões legais!
O que fazer com a casa do porteiro quando ele não existe?
Que administrador eleger?
Impacto do Alojamento Local nos condomínios
Alterações na fatura da água
Alteração ao prazo das inspeções às instalações de gás
Instalação de videovigilância já não carece de autorização
Quóruns, para que vos quero?
Conhece o programa para necessidades de alojamento urgente?
Sistemas de deteção de monóxido de carbono. Para sua máxima segurança.
Inspeções ao gás obrigatórias
Administrador à força? É melhor não…
Até que valor podem os condóminos ser multados?
Vai fazer obras? Informe o administrador!
Mais transparência na liberalização do mercado da eletricidade e do gás
O perigo de não cobrar quotas
Pesquisar